Com um a menos, Botafogo consegue virada histórica sobre o Inter

Com um jogador a menos desde o início do jogo, o Botafogo conseguiu uma virada histórica sobre o Inter e por 3 a 2, hoje (19), no Beira-Rio, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. O time carioca marcou com Hugo, o gol decisivo, aos 52 minutos do segundo tempo. Antes, Erison e Vinícius Lopes marcaram os gols dos visitantes. Edenilson e Bustos fizeram os gols do Inter.

O Inter chegou a abrir dois gols no primeiro tempo após ter um jogador a mais, mas cedeu o empate, teve um gol anulado e até fez a virada no closing.

O jogo foi cheio de polêmica e terminou em briga. Philipe Sampaio foi expulso no início do primeiro tempo em um polêmico pênalti marcado com a ajuda do VAR. E ainda houve outros momentos de discórdia no duelo, com o gol do Inter anulado e consulta do vídeo para avaliar outro possível pênalti, que não foi marcado. Nos acréscimos, mais um gol do Inter foi anulado. E, por fim, uma briga geral entre os jogadores das duas equipes.

Com 21 pontos, o Inter está em quinto na classificação. O Botafogo tem 18 e está em sétimo. Com o resultado, o Inter perde a invencibilidade que durou 16 partidas.

O próximo jogo do Inter será na sexta-feira (24), contra o Coritiba. O Botafogo volta a campo no domingo (26), para enfrentar o Fluminense.

Correu bem: Gatito brilha cara a cara

No segundo tempo, Gatito brilhou em pelo menos dois chutes frente a frente com os jogadores do Internacional.

Muito ruim: David decepciona

Convocado mais uma vez como titular, David perdeu possibilities de gol e até viu um possível pênalti para o Inter nem sequer avaliado por estar impedido. Quando foi substituído, no segundo tempo, ouviu vaias.

Em sete minutos, duas expulsões e um pênalti, e isso não foi tudo

O início do duelo entre gaúchos e cariocas foi bem agitado. Aos seis minutos, Alan Patrick recebeu na área e tentou marcar. A bola bateu no peito e caiu no braço de Philipe Sampaio. O árbitro Sávio Pereira Sampaio não havia marcado pênalti, mas foi chamado ao VAR, revisou o lance, marcou o pênalti e expulsou o zagueiro do Botafogo. Por reclamação, o técnico Luis Castro também recebeu vermelho. O jogo continuou com gols de ambos os lados. E ainda antes do closing do primeiro tempo houve outra jogada polêmica. Wanderson sofreu falta na área, mas o pênalti para Colorado não foi marcado porque David, que recebeu a bola no arremesso, estava impedido. No segundo tempo, um gol do Alemão, do Inter, foi anulado com um toque no braço.

Gol não permitido nos acréscimos

Nos acréscimos do segundo tempo, o gol que seria a vitória do Inter foi anulado por impedimento de Gabriel Mercado. A jogada foi revisada pelo VAR, que parou a partida novamente.

Lutando durante e depois do jogo

A briga tomou conta do gramado do Beira-Rio. Assim que o Botafogo virou o jogo, o meia-atacante Lucas Piazon comemorou na frente do banco do Inter. Irritados, os jogadores do time gaúcho foram até o Botafogo e houve uma briga. Gabriel Mercado foi então expulso e Piazon lesionou o ombro direito. O jogo continuou por mais alguns minutos, mas quando terminou a troca de agressões, recomeçou e virou briga geral no Beira-Rio.

Jogo do Inter: início avassalador, mas falha do topo

O Inter começou o jogo com tudo. Antes mesmo da jogada que condicionou a partida, ele já tinha mais posse de bola e estava construindo mais que o Botafogo. Ainda no início, o pênalti que virou o gol de Edenilson e deixou os gaúchos com mais um em campo interferiu diretamente no andamento do jogo. O Inter continuou pressionando, marcou o segundo, mas, na vontade de ampliar a margem, cedeu espaço. A defesa falhou algumas vezes e o Botafogo descontou e poderia ter empatado na fase inicial. Da mesma forma, a equipe de Mano Menezes continuou explorando os espaços abertos em campo e desperdiçando possibilities de gol, principalmente com David. Na etapa closing, a bola aérea falhou novamente e o Botafogo empatou e virou.

Jogo do Botafogo: expulsão atrapalha, mas time briga

O Botafogo teve 11 jogadores para apenas seis minutos de bola rolando. Com a expulsão de Philipe Sampaio emblem no início do jogo, o time carioca pouco pôde fazer no Beira-Rio. Ele até tentou se organizar e buscar o contra-ataque como arma. Ele ameaçou o gol de Daniel algumas vezes, marcou seu próprio gol e poderia ter feito ainda mais. O desempenho da equipe foi diretamente afetado pela decisão do árbitro no início da partida. Mas não faltou luta, tanto que aconteceu o empate e a virada.

Ação para doação de sangue

No jogo de hoje, o Inter entrou em ação para alertar sobre a necessidade de doações de sangue. Os nomes dos atletas nas camisas usadas no jogo tiveram as letras A, B e O apagadas para simbolizar a falta de sangue nos hemocentros do Rio Grande do Sul. A atividade faz parte da campanha ‘Blood Sort Colorado’, que deu vantagens nos próximos dois jogos aos sócios do clube que doaram sangue. A iniciativa foi aprovada pela CBF, em alusão ao Dia Mundial do Doador de Sangue, comemorado no dia 14.

FICHA DE DADOS
INTERNACIONAL 2 X 3 BOTAFOGO

Encontro: 19/06/2022 (domingo)
Lugar: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Juiz: Sávio Pereira Sampaio (DF)
auxiliares: Daniel Henrique da Silva Andrade e José Reinaldo Nascimento Junior (ambos do DF)
VAR: Rafael Traci (SC)
Cartões amarelos: Carli, Kayque, Hugo, Gatito, Patrick de Paula, Piazon (BOT); Kaique Rocha, Moisés, Taison, Maurício, Mercado (INT)
cartões vermelhos: Philipe Sampaio, Luis Castro [técnico] (ROBÔ); Mercado (INT)
metas: Edenilson, do Inter, aos 8 minutos do primeiro tempo; Bustos, do Inter, aos 13 minutos do primeiro tempo; Vinícius Lopes, do Botafogo, aos 19 minutos do primeiro tempo; Erison, do Botafogo, aos 14 minutos do segundo tempo; Hugo, do Botafogo, aos 52 minutos do segundo tempo.

Internacional
Daniel; Bustos (Cadorini), Vitão, Mercado e Moisés (Pedro Henrique); Gabriel, De Pena, Edenilson, Wanderson (alemão) e Alan Patrick (Taison); Davi (Maurício).
Técnico: Mano Menezes.

Botafogo
Catito Fernández; Philipe Sampaio, Carli e Klaus; Saravia (Jefinho), Kayque, Patrick de Paula, Lucas Piazon e Hugo; Vinícius Lopes (Daniel Borges) e Erison (Matheus Nascimento).
Técnico: Luís Castro.

Leave a Comment

A note to our visitors

This website has updated its privacy policy in compliance with changes to European Union data protection law, for all members globally. We’ve also updated our Privacy Policy to give you more information about your rights and responsibilities with respect to your privacy and personal information. Please read this to review the updates about which cookies we use and what information we collect on our site. By continuing to use this site, you are agreeing to our updated privacy policy.