Consórcio veta jogo do Vasco no Maracanã e clube pede reconsideração

A crise entre Vasco e Maracanã teve outro capítulo nesta quarta-feira. O Consórcio que administra o estádio negou o pedido do clube para enviar o jogo contra o Sport, no dia 3 de julho, pela Série B, no native. A administração do Maracá usou como justificativa a preservação do gramado do estádio, mas a recusa não caiu bem na diretoria do Cruz-Maltino, que contestou a decisão e pediu reconsideração.

+ Carlos Brasil revela detalhes sobre renovação do Vasco com Andrey Santos: ‘Algumas questões precisam avançar’

“O Club de Regatas Vasco da Gama informa que esta tarde entrou com pedido de reconsideração junto ao Consórcio Maracanã, após se recusar a jogar seu jogo contra o Sport Club do Recife, no dia 3 de julho, no Maracanã. O clube entende que as alegações do Consórcio por não permitir que o Vasco e seus torcedores estejam presentes no maior estádio do Rio de Janeiro, em jogo de grande demanda de público, marcado para domingo às 16h, e espera que o Consórcio reveja sua posição”, publicou Vasco em nota oficial no site.

+ Mesmo pagando mais para jogar no Maracanã, Vasco ganha três vezes mais do que em São Januário

+ Thiago Rodrigues valoriza a sequência atual e se declara mais uma vez ao Vasco: ‘Nasci para jogar aqui!’

Segundo o Vasco, o Consórcio alegou que já há um jogo marcado (Fluminense x Corinthians) para 24 horas antes do Vasco x Sport e que “com intervalo inferior a 24 horas entre os jogos, impossibilita o cumprimento do mínimo recomendado prazo para manutenção da qualidade do gramado”. O clube, no entanto, apontou várias ocasiões em que Flamengo e Fluminense utilizaram o estádio em dias consecutivos e disse que “essa justificativa não pode ser aceita como razoável”.

“A restrição do direito do Vasco da Gama de trabalhar no Maracanã configura, mais uma vez, a falta de igualdade de condições de uso do estádio pelos grandes clubes do Rio de Janeiro, o que viola diretamente o disposto no precário prazo de permissão para uso firmado com o Governo do Estado”, disse Vasco na nota.

“O Vasco da Gama repudia a tentativa de impedir que um número maior de seus torcedores possa acompanhar o clube com o uso de equipamentos públicos com capacidade três vezes maior que o estádio São Januário e aguarda nova manifestação do Consórcio Maracanã. ”, acrescentou o clube.

Siga o Esporte News Mundo no Instagram, TwitterFb e Youtube

Recentemente, o Vasco enfrentou o Cruzeiro no Maracanã, pela Série B, mas a partida também foi palco de polêmicas. O Consórcio aumentou o valor do aluguel do estádio e não permitiu que o Cruz-Maltino participasse dos lucros dos bares, além de ter vetado uma faixa que o clube colocaria no muro central do Maracá, com os dizeres ” Respeito, Igualdade e Inclusão”.







Leave a Comment

A note to our visitors

This website has updated its privacy policy in compliance with changes to European Union data protection law, for all members globally. We’ve also updated our Privacy Policy to give you more information about your rights and responsibilities with respect to your privacy and personal information. Please read this to review the updates about which cookies we use and what information we collect on our site. By continuing to use this site, you are agreeing to our updated privacy policy.