Desempregada na pandemia, manicure monta salão de beleza sob viaduto no Ceará | Ceará

A manicure Flávia Câmara, 43 anos, montou um salão de beleza sob o viaduto da Avenida Borges de Melo, no bairro Aerolândia, em Fortaleza, após ficar desempregada durante a pandemia. 54 famílias residem no native.

Flávia Câmara sempre trabalhou como manicure e diarista e limpava a casa de um casal de idosos. No entanto, o casal morreu de Covid-19 e ela perdeu o emprego. Sem dinheiro para pagar o aluguel de R$ 490 e outras contas, ela decidiu morar embaixo do viaduto. Sua casa é feita de lona, ​​papelão e pedaços de madeira.

“Quando veio a pandemia, muitas pessoas que eu fazia já eram idosas e as famílias não deixavam mais a gente entrar por causa da doença. E então eu não tinha que pagar o aluguel. Paguei um aluguel de R$ 490 e tinha água, luz, comida, gás e depois não tinha condições”, disse.

Manicure abre salão de beleza sob viaduto

Após a pandemia, segundo a manicure, ficou difícil conseguir trabalho. Houve até uma oportunidade de trabalhar em um salão de beleza, mas o dono, ao saber que ela morava debaixo de um viaduto, a dispensou.

“Uma senhora veio aqui e me deu um número para ir trabalhar no salão. Aí eu fui passar dois dias lá. Aí o marido dela perguntou onde eu morava e quando eu disse que morava embaixo do viaduto eles não me queriam mais” , ela lamentou.

Salão de beleza fica embaixo do viaduto, em Fortaleza. — Foto: Reprodução/TVM

A manicure explica que sempre dependeu de doações, mas decidiu aproveitar o barraco da prima para montar seu próprio negócio.

“Sempre sonhei em ter meu próprio espaço. Depois não podia. Tinha pouco. Aí meu primo morava aqui nesse barraco e foi embora e disse que eu podia fazer o que eu quisesse. Bom, já sei o que vou fazer Então fiz cursos e me profissionalizei e ganhei algumas coisas e aos poucos fui construindo”, lembra.

  • ‘Vendi meu computador e abri a tabacaria’, diz um jovem de Fortaleza que investiu no comércio alternativo durante a pandemia; veja outros casos
  • Artista cearense cria ilustrações sobre o cotidiano da pandemia: ‘Gosto de desenhar momentos’

Nesse período, os principais clientes de Flávia Câmara são amigos, familiares e pessoas das comunidades próximas. Seus serviços são unhas, depilação e banho de lua. As prateleiras montadas com materials reciclado foram feitas pelo marido, que está desempregado.

O objetivo da manicure é conquistar a casa própria e formalizar o negócio. “Eu nunca vou desistir, meu objetivo é esse, ter meu canto e se Deus quiser eu vou conseguir”.

Cursos e linhas de crédito

Na capital, são oferecidos mais de 40 cursos profissionais gratuitos para pessoas carentes. Existem linhas de crédito específicas para mulheres, com créditos e carências especiais, segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico de Fortaleza, Rodrigo Nogueira.

“São créditos de até R$ 3.000, têm carência de seis meses e 30 meses para pagar. Eles podem acessar o web site Fortaleza Capacita e depois fazer o curso e apresentar o plano de negócios e ao closing recebem o crédito “.

Veja mais notícias do Ceará em g1 em 1 minuto:

Leave a Comment

A note to our visitors

This website has updated its privacy policy in compliance with changes to European Union data protection law, for all members globally. We’ve also updated our Privacy Policy to give you more information about your rights and responsibilities with respect to your privacy and personal information. Please read this to review the updates about which cookies we use and what information we collect on our site. By continuing to use this site, you are agreeing to our updated privacy policy.