Dia dos Pais: Conheça seis ‘grandes pais’ do reino animal

Foto: Divulgação

A máxima “não basta ser pai, é preciso participar” já é consenso entre os seres humanos, mas não costuma ser a regra no reino animal. No entanto, existem pais de verdade na natureza que são muito dedicados à família e cuidam muito bem de seus filhotes. Há aqueles que garantem complete apoio às mães durante a gravidez, outros que são responsáveis ​​pela alimentação e proteção dos bebês nos primeiros meses de vida e até aqueles que engravidam.

Embora com características diferentes, as espécies enfrentam desafios comuns: manter habitats bem preservados, seguros e saudáveis ​​para viver. “Temos uma biodiversidade incrível no Brasil, com uma fauna muito rica e interessante. Infelizmente, o desmatamento, o tráfico de animais silvestres, a pesca predatória e as mudanças climáticas colocam várias espécies em risco”, diz Karynna Tolentino, especialista em Conservação da Biodiversidade da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza.

Para comemorar este Dia dos Pais, confira seis exemplos inspiradores da natureza:

Peixe-palhaço

Os machos da espécie Anfiprion, popularmente conhecido como peixe-palhaço, possuem um forte “instinto paterno”. Assim como a personagem Marlim, do filme “Procurando Nemo”, os pais da espécie são extremamente cuidadosos e protetores e podem até cuidar de “bebês” que não são seus. Os pais estão sempre próximos dos filhotes e costumam morder os ovos para retirar pequenos detritos e também ventilar seus recantos para garantir oxigênio aos filhotes. Pesquisadores da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, acreditam que a explicação está na presença do hormônio isotocina entre esses peixes, que teria efeito semelhante ao da oxitocina em humanos. Também chamada de “hormônio do amor”, a oxitocina é liberada no corpo das mães humanas durante o parto e a amamentação.

Cavalo-marinho

O cavalo-marinho (hipocampo) é uma das espécies com a paternidade mais incomum. É o macho que “engravida” e dá à luz centenas de filhotes de uma vez. Os cavalos-marinhos machos têm uma bolsa onde as fêmeas depositam seus ovos. A incubação ocorre por um período de até 45 dias, até que os bebês possam nascer. Existem cerca de 50 espécies de cavalos-marinhos distribuídos nos oceanos Atlântico, Índico, Pacífico e Mediterrâneo que são considerados vulneráveis ​​à extinção. No Brasil, existem duas espécies: hipocampo reidi e H. erectus. As principais ameaças são a pesca excessiva, a destruição do habitat e a captura para reprodução em aquários.

pinguim imperador

O Pinguim Imperador (pinguinus impennis) assume a tarefa de cuidar dos ovos de seus filhotes. Sua missão é manter o ovo aquecido por cerca de dois meses – mesmo morando em locais tremendous frios – até o momento do nascimento e garantir que os filhotes sejam alimentados nos primeiros meses. Esse cuidado é essencial para permitir que a fêmea recupere suas forças, alimentando-se no mar. Existem 17 espécies conhecidas de pinguins, principalmente no Hemisfério Sul. No Brasil, os registros mais frequentes são de pinguins-de-magalhães, que preferem temperaturas mais amenas em relação aos que vivem no extremo sul do planeta.

Sagui

O papai sagui (calítrix) é muito apegado à família e muito participativo no desenvolvimento de seus filhos. Eles alimentam e carregam os filhotes nas costas enquanto as mães descansam por vários dias para se recuperar do parto. Os irmãos mais velhos também ajudam a cuidar dos pequenos desta espécie. Os saguis se alimentam principalmente de insetos, mas também gostam de frutas, sementes, ovos, seiva de árvores e pequenos pássaros. O avanço do desmatamento e do tráfico de animais são as principais ameaças.

Emma

Os machos da ema (ema americana) costumam manter um grupo de até 12 fêmeas. No entanto, os pais são muito presentes e fundamentais no cuidado dos jovens. Os machos são responsáveis ​​pela eclosão dos ovos e são responsáveis ​​pela construção do ninho e pelo cuidado e proteção dos filhotes, que podem durar até seis meses. A ema é um animal que ocorre exclusivamente na América do Sul, principalmente nas regiões rurais e cerrados do Brasil, Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai. É a maior e mais pesada ave do continente. Um macho adulto pode atingir 1,70 metros e pesar até 36 quilos. A intervenção humana nos biomas também é a principal ameaça a esses animais, assim como a caça. O Pantanal é um dos habitats onde mais indivíduos da espécie são encontrados no Brasil.

cisne de pescoço preto

Outro genitor muito presente na gestação e criação de seus filhotes é o cisne de pescoço preto (Cygnus melancoryphus). Eles constroem o ninho muito perto da água. Enquanto a mãe sai para se alimentar, o pai fica muito atento ao ninho, podendo até se tornar bastante agressivo se alguém se aproximar. Depois que os filhotes nascem, eles sobem nas costas dos pais para se proteger do frio e dos predadores. O cisne de pescoço preto é uma ave que vive no sul da América do Sul, habitando lagos, lagoas e pântanos.

Leave a Comment

A note to our visitors

This website has updated its privacy policy in compliance with changes to European Union data protection law, for all members globally. We’ve also updated our Privacy Policy to give you more information about your rights and responsibilities with respect to your privacy and personal information. Please read this to review the updates about which cookies we use and what information we collect on our site. By continuing to use this site, you are agreeing to our updated privacy policy.