Nova fada? menina de 4 anos deixa balé para fazer sucesso com skate no inside de SP | ter esporte

Aos 13 anos, a patinadora Rayssa Leal não só encantou o Brasil com sua atuação que lhe rendeu a medalha de prata nas Olimpíadas de Tóquio, como também deixou uma verdadeira legião de fãs. Mais do que isso, Fadinha – como ficou conhecida depois de viralizar fazendo truques vestidos de fada – também serviu de inspiração para milhares de crianças de todo o país, que diariamente decidem se aventurar no esporte.

Um dos grandes legados deixados por Rayssa após a conquista foi o incentivo ao público feminino. Idealizador de um projeto que ensina esporte para crianças de Urupês, a mais de 400 quilômetros de São Paulo, o professor Rick Castilho explica como o “increase” causado pela Fadinha impactou na prática.

– Os pais, principalmente, acreditavam que andar de skate period só para meninos. E com os Jogos Olímpicos, ver essa presença feminina, Rayssa Leal se destacando, foi algo que chamou a atenção deles e começaram a querer investir nas crianças e incluí-las no esporte. Acredito que as meninas tinham esse desejo, mas por preconceito os pais não deixaram e elas não se destacaram tanto. Hoje, quase 70% do projeto é formado pelo público feminino – diz.

Veja também:
+ Outras notícias de ge.globo/tvtem

Rick Castilho ensina o esporte em um projeto social em Urupês (SP) — Foto: Reprodução/TV TEM

E foi justamente no projeto liderado por Rick na cidade de pouco mais de 13 mil habitantes que um novo talento do skate surgiu e vem atraindo os holofotes. É a pequena Ana Clara, de apenas 4 anos, que deixou as aulas de balé para se dedicar ao esporte depois de ver o irmão brincando de skate. Mesmo vestida como se estivesse indo a um present de dança, a garota esbanja habilidade nas quatro rodas.

– Ana Clara ficou ali na plateia, observando, e seus olhos brilharam. Então tivemos que falar com Rick, porque parecia que ela ia ficar doente. Então o Rick lançou e deu todo o apoio – conta Caroline Ávila, mãe de Clarinha.

No projeto, que conta com o apoio da Confederação Brasileira de Skate (CBSK), o pequeno é um dos destaques e precisou de autorização especial para participar, já que as aulas são voltadas para crianças a partir de 6 anos.

Aos 4 anos, Ana Clara esbanja talento no skate — Foto: Reprodução/TV TEM

O talento de Clarinha é tanto que ela já foi chamada de “Fadinha de Urupês” e até ganhou likes de Rayssa Leal em vídeos nas redes sociais.

– Ver uma criança pequena que mal consegue se expressar, mas além do skate consegue desenvolver e mostrar habilidades é algo surpreendente. Tanto para nós quanto para os pais, que acreditaram que talvez não fosse possível e perguntaram se poderiam colocá-lo na classe por causa do tamanho. Mas vimos que essa barreira poderia ser quebrada – diz Rick Castilho.

Leave a Comment

A note to our visitors

This website has updated its privacy policy in compliance with changes to European Union data protection law, for all members globally. We’ve also updated our Privacy Policy to give you more information about your rights and responsibilities with respect to your privacy and personal information. Please read this to review the updates about which cookies we use and what information we collect on our site. By continuing to use this site, you are agreeing to our updated privacy policy.