O esporte pode mudar vidas? | CBN Campo Grande

Entre 2014 e 2019 um longo caminho foi percorrido. Às vezes period o mais difícil de seguir. Ao longo do caminho, um acidente de trânsito, que deixou limitações físicas como consequência, foi provavelmente o maior obstáculo. Desde então, muita coisa aconteceu. Apesar do que aconteceu em 2014, os dias que se seguiram foram o ponto de partida para um novo recomeço. Porém, finalmente em 2019, houve um marco de superação – que já havia sido traçado nos cinco anos anteriores.


Charles Dutra é o dono dessa história contada acima.


Ciclista, Charles conta que, por causa das restrições causadas por um acidente de trânsito, sentia pouca disposição para atividades físicas. Porém, essa “chave” virou quando começou a paixão pelo pedal. “Andar de bicicleta é uma atividade que eu posso fazer. Às vezes você tem um dia cheio, você anda de bicicleta, isso distrai sua mente.”

CONTINUAR APÓS ANUNCIAR


Mais do que um momento para desanuviar a cabeça e uma simples mudança de hábito, a bicicleta tornou-se um modo de vida para Charles, e também para sua esposa. Hoje, o casal ainda participa de competições e já arrecadou diversos prêmios, entre medalhas e troféus.


Pensando nesses benefícios, nasceu o grupo de pedais coordenado por Luana da Silva Bezerra. Tudo começou com um grupo de amigos saindo para passear e se divertir. “Quando você sai para passear em grupo, você acaba conhecendo muita gente, fazendo amigos, e levando para fora do mundo da bicicleta, sabe”, reitera.


Para a psicóloga Pietra Garcia, o acesso à terapia ainda não é uma realidade para todos e o esporte é um grande ponto de apoio, inclusive auxiliando em situações pós-traumáticas. Segundo ela, ao praticar atividades físicas também estamos colaborando com nossa saúde psychological.


“Não separamos corpo e mente. Se nosso corpo não estiver bem, terá efeitos em nossa mente, no sentido de ansiedade e pensamentos repetitivos”, diz a psicóloga. Essa linha de pensamento é praticamente a mesma de Charles, funcionário da Unimed.


Além da saúde física e psychological, ele diz que o ciclismo lhe deu a oportunidade de encontrar muitos amigos. “Começamos a fazer pequenos passeios dentro da área urbana da nossa cidade. Aos poucos acabamos nos desafiando cada vez mais até começarmos a pedalar em terrenos extremos, como trilhas e percursos mais longos”, explica.

Leave a Comment

A note to our visitors

This website has updated its privacy policy in compliance with changes to European Union data protection law, for all members globally. We’ve also updated our Privacy Policy to give you more information about your rights and responsibilities with respect to your privacy and personal information. Please read this to review the updates about which cookies we use and what information we collect on our site. By continuing to use this site, you are agreeing to our updated privacy policy.