Preta Rara: ‘Meu cabelo cresce em direção à minha autoestima, para cima’ – 05/08/2022

Quem se identifica com a autenticidade de Preta Rara também encontra motivos para se inspirar em sua beleza, autoestima e autoconfiança, temas que para ela se transformaram ao longo dos anos e hoje são essenciais para ocupar seu lugar no mundo. “Meu cabelo faz parte da minha identidade. Além disso, gosto de provocar reflexão quando as pessoas olham para ele e questionam por que coloco batom cinza, azul ou verde”, diz.

Em entrevista ao programa “E Aí, Beleza?”, apresentado pela maquiadora e colunista do universo Fabi Gomes, a artista, ativista e escritora Joyce Fernandes, de 37 anos, falou sobre como sua relação com o corpo e o cabelo mudou ao longo dos anos, à medida que ela se reconheceu, se aceitou e se posicionou. “Sempre digo que meu cabelo crespo está para cima porque cresce em direção à minha autoestima, para sempre lembrar que sou rainha e que tenho um papel importante na sociedade. Por mais que parte dele queira me esconder, eu existo” , ela diz.

Preta lembrou a importância da mãe na formação de sua identidade. “Tinha muitos amigos brancos na escola com cabelo liso e todo mundo elogiava. E o meu period ‘cabelo duro, bufante, bucha’. Tive a sorte de ter uma família presente e isso me apoiou. Toda vez que eu chegava chorando, meu a mãe ia lá e pegava o vinil da Alcione, toda linda de turbante. Ela me dizia: ‘Essa menina aqui passou pelas mesmas condições que você. Olha como ela é bonita, olha as unhas, o cabelo. Você também pode ser ela’.”

Preto Raro

Imagem: Mariana Pekin/UOL

Na infância, diz ela, o tamanho do nariz a tornou alvo de comentários racistas e, quando jovem, surgiram questões relacionadas ao seu corpo. “Pensei: ‘sou gorda, então não posso ser bonita porque sou gorda. Tenho lábios grossos, então não vou passar batom vermelho porque vai aumentar ainda mais. quero ser visto, porque há muito tempo sou invisível nesta sociedade. Estou cansado de ser invisível”, destaca.

Dona de um estilo único e expressivo, no qual diz ‘use e abuse das cores’ em roupas e acessórios, a escritora deixa clara sua visão sobre beleza. “Beleza, para mim, não está tão ligada a você estar sempre montada. Amo maquiagem e maquiagem. Amo batom e não saio sem cílios [postiços]. Mas a beleza, para mim, transcende. Está além do que se pode ver. Beleza é dar bom dia para o porteiro, falar com os profissionais de limpeza ao invés de deixar essas pessoas invisíveis.”

Leave a Comment

A note to our visitors

This website has updated its privacy policy in compliance with changes to European Union data protection law, for all members globally. We’ve also updated our Privacy Policy to give you more information about your rights and responsibilities with respect to your privacy and personal information. Please read this to review the updates about which cookies we use and what information we collect on our site. By continuing to use this site, you are agreeing to our updated privacy policy.