Saiba como entregar um animal silvestre ao IBAMA

Com avistamentos cada vez mais comuns no meio urbano, você já imaginou o que faria se encontrasse, por exemplo, uma capivara se alimentando à sua porta? Casa? Nessas horas, o supreme é manter a calma e saber como entregar um animal silvestre ao IBAMA.

Leia mais: Confira a lista de animais silvestres permitidos pelo IBAMA no Brasil

Seja porque os animais estão em florestas próximas aos humanos ou porque se afastaram de seu habitat, todos os dias vemos notícias de pessoas que tiveram contato com animais silvestres.

Nesse momento, fique tranquilo e lembre-se que a guarda desses animais é de responsabilidade do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (IBAMA), organização que visa a preservação da biodiversidade no Brasil.

Como fazer?

Para entregar um animal selvagem, pode contactar:

  • Linha Verde IBAMA, pelo telefone 0800 618 080;
  • Batalhão de Polícia Ambiental Native;
  • Centro de Manejo da Fauna Silvestre, que se divide em Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS) e Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS).

O native onde o animal foi encontrado também é importante. Isso porque pode pertencer ao IBAMA ou ser administrado pelo município, estado ou ONG.

Se você mantiver um animal silvestre não legalizado em casa, a entrega voluntária a instituições que cuidam desses animais o isenta de processo felony e você não é mais responsável por um crime ambiental.

O que acontece com o animal após o parto?

Após ser recolhido e chegar ao native responsável, o animal passará por avaliações médicas para verificar suas condições físicas e comportamentais. Em seguida, define-se o destino do animal, que costuma ser o retorno à natureza em mais de 50% dos casos, segundo relatório do IBAMA.

É perigoso soltar na natureza?

Por mais que queiramos devolver o animal ao seu habitat, entregá-lo à natureza pode não ser a atitude supreme. Isso porque, em casos de animais mantidos em cativeiro, a reabilitação é complexa e requer um processo de reintrodução e avaliações médicas constantes.

Além disso, pode causar a morte do animal e o perigo de espécies invasoras no ambiente em que foi solto. Portanto, os animais devem ser entregues aos órgãos responsáveis ​​por seus cuidados.

Leave a Comment

A note to our visitors

This website has updated its privacy policy in compliance with changes to European Union data protection law, for all members globally. We’ve also updated our Privacy Policy to give you more information about your rights and responsibilities with respect to your privacy and personal information. Please read this to review the updates about which cookies we use and what information we collect on our site. By continuing to use this site, you are agreeing to our updated privacy policy.