Tem muita coisa boa acontecendo no time do Cruzeiro – 23/06/2022

Poucos torcedores sofreram tanto quanto o Cruzeiro recentemente. O clube foi rebaixado em 2019 e amarga posições na Série B em 2020 e 2021. Como se não bastasse o resultado esportivo e as finanças enfraquecidas, o desfalque foi descoberto. 2022 veio com SAF, a promessa de dias melhores. E eles chegaram. A organização da equipe liderada por Pezzolano é um prazer de ver.

Fora de campo, Ronaldo Nazário comanda um processo de reestruturação administrativa. Em campo, o técnico uruguaio consegue colocar em prática a filosofia que trouxe para a organização coletiva do time, e o crescimento particular person de algumas peças confirma esse sucesso. A Raposa tem DNA muito identificável.

As dez vitórias, duas derrotas e o empate em 13 jogos da Série B formam a melhor campanha de um time na competição desde 2014. A Chapecoense somou 32 pontos na 13ª rodada de 2013. Os resultados foram acompanhados de desempenho para o padrão da Segunda Divisão, que também dá o direito de sonhar em surpreender na Copa do Brasil.

01 - Fonte: Opta - Fonte: Opta

Números importantes do Cruzeiro na Série B 2022

Imagem: Fonte: Opta

O grupo de jogadores da Raposa não tem nomes de grande valor no mercado atual. As principais contratações foram o goleiro Rafael Cabral, o meia João Paulo e o atacante Edu. O primeiro vem de dez anos na Europa após se destacar no Santos campeão da Libertadores de 2011. O segundo teve uma boa atuação pelo Atlético/GO na Série A. E o terceiro foi destaque do Brusque em 2021.

O restante do elenco reúne jovens da base, destaques em clubes menores da Série A ou Série B, e atletas que não tiveram espaço na 1ª divisão. Pezzolano fez dessa mistura um time que não abre mão da bola para tentar dominar os adversários, e sabe bem o que fazer para criar probabilities. Sem a bola, a ordem é ser agressivo para recuperá-la rapidamente.

O esquema tático é quase sempre 3-4-3. Atualmente, o trio de defesa titular é formado por Zé Ivaldo, Lucas Oliveira e Eduardo Brock. O treinador consegue tirar muita participação deles no momento ofensivo. São os três jogadores que mais trocam passes em média em toda a Série B. Eles levam a pelota a gerar desmarcação de um companheiro e trabalhar com passes curtos ou longos.

02 - Rodrigo Coutinho - Rodrigo Coutinho

O trio de defesa trabalhando com a bola no campo rival e participando ativamente na distribuição de passes

Imagem: Rodrigo Coutinho

Em alguns jogos, Pezzolano usa um lateral como zagueiro. Geovane Jesus é um exemplo. Os alas estão sempre muito afiados nas laterais, atacando a última linha de defesa para gerar algo visto no trabalho do uruguaio desde que começou a ganhar notoriedade em seu país. Há sempre cinco atletas em segundo plano, empurrando o rival para trás. Matheus Bidu tem sido muito produtivo na esquerda.

03 - Rodrigo Coutinho - Rodrigo Coutinho

Os cinco jogadores espetados em cima da última linha rival. Os alas projetados (em amarelo), os atacantes (em vermelho) e o centroavante Edu (em branco)

Imagem: Rodrigo Coutinho

Os médios defensivos estão mesmo à frente dos defesas e distribuem o jogo com velocidade. Neto Moura e Willian Oliveira trabalham duro em passes longos em profundidade ou inversões laterais para pegar os alas em situações de um contra um. Edu é o centroavante. Ele basicamente se movimenta no mesmo setor dentro do proposto ”ataque posicional”, e é acompanhado por dois jogadores mais leves de cada lado.

Fernando Canesin e Jajá são os titulares, mas há rodízio nesses papéis. Enquanto um deles procura ser o elo central entre os médios defensivos e a área, o outro ataca mais espaços nas costas da defesa, é uma espécie de ”segundo avançado”. Jogam quase sempre no ‘meio espaço’, nas costas dos médios rivais, entre defesas e laterais. O ataque em profundidade e os movimentos de apoio das asas são bem coordenados.

Outro ponto interessante é a reação instantânea ao perder a bola. O Cruzeiro tem isso como premissa, e os zagueiros são incentivados a “correr para frente” ao invés de recuar. A proposta é sufocar o rival no setor onde a bola foi perdida e inibir os contra-ataques. Tem funcionado. A equipe sofre poucos gols e sofre poucos chutes.

04 - Rodrigo Coutinho - Rodrigo Coutinho

Representação da reação rápida do Cruzeiro ao perder a bola e iniciar a transição defensiva com agressividade

Imagem: Rodrigo Coutinho

Projetar o 2023 na Série A torna-se cada dia mais actual na Raposa. Certamente serão contratados reforços para atender às demandas da elite do futebol brasileiro, mas o time já tem um modelo, e a continuidade desse trabalho facilitará a competitividade. A recente renovação do contrato da comissão técnica é uma ótima notícia.

Leave a Comment

A note to our visitors

This website has updated its privacy policy in compliance with changes to European Union data protection law, for all members globally. We’ve also updated our Privacy Policy to give you more information about your rights and responsibilities with respect to your privacy and personal information. Please read this to review the updates about which cookies we use and what information we collect on our site. By continuing to use this site, you are agreeing to our updated privacy policy.